Wednesday, December 26, 2007

Fly... and flowers



"Adoro as coisas simples. Elas são o último refúgio de um espírito complexo." ( Oscar Wilde)




desejo aos amigos um
CO
RA
ÇÃO
LE
VI
NHO !































"Às vezes, só uma mudança de ponto de vista é suficiente para transformar uma obrigação cansativa numa interessante oportunidade." &
"O pessimista vê a dificuldade em cada oportunidade, o otimista, a oportunidade em cada dificuldade."
(Albert Flanders)






I just called to say I love you

Monday, December 24, 2007

dos peixes & dos perigos singelos

dos peixes & dos perigos singelos

uma voz tem braços
cabeça, peito e membros
fios d´ ouro em traços

pegadas, descaminhos
imaginação, fantasias, horizontes
abertura aos ecos

uma voz rasga o silêncio
engasgar o vento...
enfeitiçar ouvidos ela pode

oculta mundos infinitos ...
A escuta desvenda tons
decifra sons, des & co-compõe

pode a voz aprisionar -libertar
alegrar, sangrar, acordar, apaziguar... corações
e, contudo as vaidades não passar desapercebida...

Virgínia além mar –(mulher peixe voador) dez-07

Publicado no Recanto das Letras em 24/12/2007Código do texto: T790703
Foto poema http://vicamf.multiply.com/photos/photo/25/145

“...não podemos imaginar que algures por detrás da estrela mais longínqua do céu nocturno, o espaço possa ter um fim, um limite para além do qual nada mais existe. O conceito de vácuo diz-nos ainda alguma coisa, pois um espaço pode estar vazio (...), mas a nossa força de imaginação é incapaz de apreender o conceito de nada no sentido de ausência de espaço..”(Escher -1959)
IMAGEM –Escher Limite Circular III http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/escher/circular3.html

http://groups.msn.com/4ms1ts1j46bo2h5g/taosmo.msnw

Wednesday, December 19, 2007

Celebração




Celebração

Erguerei meu cálice
em celebração
ao verbo Solar

Ao Solstício de Verão

Outro brinde, erguerei
ao Solstício do Inverno
aos Cânticos dos Povos...

Esticarei meu ouvido,
meu coração em busca de mais Paz
e compreensão

Mais outro brinde
à Natureza e seus ciclos
à renovação!

Um Cálice me será suficiente
ao mergulho e oração...
n´Oceano amigo sustento e abrigo, o corpo rebatizo

Ao Sol e a Jesus menino
ergo os olhos, abro meu coração
nos flocos das alvas e passageiras nuvens, uma redenção...

Boas Festas , FELIZ NATAL !

afetuosamente,
virgínia além mar poeta
http://www.vaniadiniz.pro.br/virginia_fulber/poema_celebracao.htm

Renovações
http://www.vaniadiniz.pro.br/virginia_fulber/cronica_renovacoes.htm

mergulho e vôos


mergulho e vôos

*virgínia além mar *

... os mares
singrando
compartilhando
visagens, horizontes e verticalidades...

nas águas os reflexos
das estrelas fisgando
sendo tal qual peixes,
feixes luminosos de afetos...

tingindo
noturnas paisagens
com fosforescentes explosão de cores
espirais dançantes...

lendo nos céus
possíveis destinos de uma melhor humanidade
e já transcendendo-a
em imanente mergulho

aos vôos retornando
planando, plasmando instantes
tres-paz-ser
pazs-sagem; vi-agem
( virgínia f. além mar –mulher peixe voador -nov-dez-07)

Publicado no Recanto das Letras em 19/12/2007Código do texto: T784546

Sunday, December 09, 2007

-Arte- antropologia e além CONNECTIVE TISSUE


CONNECTIVE TISSUE
-- Joshua Levin (painting) & Michèle Sato (poem) --

PROLOGUE - MYTH
In the heart of forest
Through sharp bird's orchestra
Each life can tell about myths
Magical silhouette of labyrinths
Act II - MEMORY
Life in the forest
Knows the secrets enchantment
Mystical flowers spread smell
Darkness reminiscent from spell

Act III - MIRROR
Connection of the forest
Blows wind and musical notes
The spirits come to the light
Dancing in the circle with delight

Act IV - MASK
The queen of forest
Lives inside the biggest tree
Silent signals are revealed
Fascination seems appeared

EPILOGUE - MEANING
The tissue of the forest
Connects all elements
Gesturing languages with silence
Dynamic of absence and presence
*


Impressões De Uma Viagem AmazônicaChico Mendes- 19 Anos Sem Ele


Por Michèle Sato


Friday, November 30, 2007

das ROSAS & MAÇÃS...

ROSAS & MAÇÂS

RODA CIRANDA
VOLTA SAUDADE
SACODE A SAIA MENINA
ENFEITIÇA
REVESTE DE PRIMAVERA TUA CANÇÃO

JÁ É
TEMPO DE ACORDAR CORAÇÕES
DE
NÃO CALAR GEMIDOS


NA NOITE AMIGA
LUA BONITA CONTIGO VEM
GIRAR

DESTEMIDA ABRAÇA O INSTANTE
DA ALMA BELEZA JUVENIL AFLORA
ESPELHO D´ÁGUA REFLETE TEU DESEJO
NO RUBOR NA FACE O CONVITE DAS MAÇÃS...

ESCORRE DOS LÁBIOS TEU VIÇO
ANSEIO NAS MÃOS

EM TEU
DORSO QUENTE
COLO CLEMENTE
ENSAIANDO-SE ESTA O VERÃO ..!.

virgínia além mar- para minhas amiguinhas ROSAS, que estão a desabrochar.)
mais inspiração em
Jazz - Free Style - Rosa Vermelha
http://www.youtube.com/watch?v=KGgQjlw5RIk&eurl=http://vicamf.multiply.com/journal


amor ...ainda




Friday, November 23, 2007

Rabiscos Madrigais




Rabiscos Madrigais
*Virgínia além mar & M. Lia Maia*
sonolenta, em devaneios
ofegantesufocando ternuras
corpo quase dormente...

arde ainda,geme em acorde sonâmbulos
alma estremece profana
sob melodias barrocas
temperadas com sereno e maresia

”anime-se” ; o canto chama
retorna alado ser !
aceita, afirmar a vida
abrir-se em asas- pétalas

resgatar o feminino que
nas entranhas latente treme
freme a fêmea-ave-pantera-serpente-mulher-menina
em desejo de mais além arriscar...

relacionar -se com o universo


MAR DE DENTRO


MAR DE DENTRO

*virgínia além mar*

Minha Canoa, berçário de sonhos
além terra meu sustento
dividindo com gaivotas
o mar adentro

Canoa querida me leve além
a beijar o céu
salgar meu rosto
adoçar meus saudosos olhos

marolando canto faceiro
o mar é meu
ó misterioso destino
entre as ondas-nuvens a descobrir

contigo minha querida Canoa, sou feliz ,risonho,
peixe flutante, tronco de velha árvore, mar,céu, sol e vento...
passado, presente, futuro
contigo um só corpo, úmido, inteiro ...
Publicado no Recanto das Letras em 23/11/2007Código do texto: T748979

Wednesday, November 21, 2007

LER É VER




LER É VER – O Olhar das Palavras
"Como a leitura sistemática nos torna melhores escritores, melhores leitores (claro), melhores profissionais, ou, sobretudo, melhores seres humanos". Afinal, segundo Jorge Luis Borges, "ler é o mais civilizado dos atos". Ele escreveu isso como se, ironicamente, estivesse se referindo ao ato de escrever como uma ação da barbárie. Claro que não é, sabemos perfeitamente disso. Mas a leitura é a imersão lenta, gradual, profunda num universo onde a palavra (esse perfeito combustível para o espírito) não descansa enquanto não nos encontra. E, nos encontrando, é decisivo que a encontremos também. Ler em silêncio é um ato quase místico, no mínimo de extrema intimidade, daí seu poder revelador; ler em voz alta, um ato de teatro, de certa forma, total. Ambas as práticas devem ser desenvolvidas> Editora Alcance


##########################
Santo Agostinho: Analfabeto até os 17 anos, Agostinho recebeu um chamado de Deus e foi para Roma. peregrinou por um caminho tortuoso, aprendeu a ler com os padres e , a partir daí, lia tudo o que lhe caísse às mãos. Quando foi elevado a bispo, vinte a tantos anos depois, já em Roma, era conhecido como rato de biblioteca: tudo lera, escrevera freneticamente. O papa, ao dar-lhe a mitra, pediu: Agostinho, faça uma oração de submissão a Deus... ( queria, em verdade, era recriminar Agostinho pelo gosto dos livros e indicar-lhe a submissão à Igreja...). Agostinho colocou apenas um joelho no chão e rezou: "Graças vos dou, meu Deus, por ter podido ler cada livro que me caiu nas mãos; graças vos dou , também, por ter podido compreender cada palavra que havia em cada um deles. E mais graças tb vos dou por ter aprendido neles as mais sábias lições de Esperança, Fraternidade e Justiça. Amém."

TEMPO


Tuesday, November 20, 2007

hoje


CONSCIÊNCIA NEGRA & além













































Resistência



Canta negra resistênciaecoa

nos tambores os sonhos de liberdade
Zumbe ZUMBIentrecortado

por chocalhos indígenas
Brancas mulheres

vermelhas bandeiras

ardem braseiros nos pés
Em ritmado passos de dança

andarilhos

plantam sementes dos Palmares
Ergam-se braços

acenem as mãos ó viventes

escrevam com maiúsculas letras
DIGNIDADE LIBERDADEDIGNIDADE



Consciência


LIBERDADE é o grito canto que anuncia o dia 20 de novembro

Consciência Negra

consciência humana

Igualdade busca de harmonia

negros brancos índios

amarelos

tantos todos gentes mesma ânsia sobreviver

multicoloridas as asas do colibrí

as escamas dos peixes

a reveladora luz da fraternidade

lembra rubro é igualmente o sangue



perscrutar ...&


in http://www.vaniadiniz.pro.br/virginia_fulber/
Publicado no Recanto das Letras em 20/11/2007Código do texto: T744297
Foto Poemas in http://vicamf.multiply.com/photos/album/25

Friday, November 16, 2007

MOMENTOS FELIZES 53 FEIRA DO LIVRO POA RS BRASIL



Momentos Felizes 53 FEIRA DO LIVRO POA RS Brasil , quando autografei a antolog. Poetas Pela Paz e Justiça Social, ED. Alcance , declamei em Praça pública..pode .. foi uma experiencia singular...amei ! E mais que tudo reencontrei amigos muito queridos, tbém ocupadíssimos... mas q. com qualidade de raros encontros parece-nos q. estivemos sempre juntos...
PORTAL VMD http://www.vaniadiniz.pro.br/virginia_fulber/
orkuthttp://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=13963347878932880987
"Para Hegel a poesia está ontologicamente acima da música. Insistimos neste ponto: o que caracteriza mais particularmente a poesia é o poder de submeter ao espírito e às suas representações o elemento sensível de que a arte já tinha começado a ser libertada pela pintura e pela música (8). Deste modo a poesia é a arte mais despojada de um elemento material, a música ainda se utiliza do som, assim como tendo sua origem na arte romântica, a música assume a ênfase cristã no valor infinito do indivíduo e do livre-arbítrio. A arte da poesia é a arte universal do espírito que se tornou livre e cuja interioridade pretende realizar-se completamente, confundindo assim dizer com o pensamento, tal como se forma na fantasia (...) de modo que a realidade exterior dê lugar à realidade interior e que a objetividade exista apenas na própria consciência (...) ""A música como a arte menos interpretada pela Psicanálise. Algumas das idéias de Didier-Weill sobre Psicanálise e música. A hipótese de que a linguagem musical seja a origem da linguagem verbal. A questão do tempo na música. A hipótese contrária, a de que a linguagem verbal seja a origem da linguagem musical e de todas as demais artes. A música como fonte do sentimento oceânico mencionado por Freud e do gozo além do fálico descrito por Lacan. "(Anchyses Jobim Lopes )

Thursday, November 08, 2007

hora de estar mar





hora de estar mar

*virgínia além mar*

um tempo de sentar e ouvir o mar
o cantarolar macio dos últimos raios de sol


criscriscris de grãos de areia úmidos
crescem asas n´ olhar que espera;
sereno, amante ...carícias dos verdes tempos

juventude estala na boca da noite
um tanto tonta, entre embriagues das cores


desenhando letras no por de sol,
feminina, irreverentemente lânguida debruça-se sobre o mágico tapete de areia cor de mel ...

no feminino fecundo, há-mares !
#########################

Virgínia além mar buscando aprender o mais amar...
08 nov 20007- Novo Hamburgo RS Brasil
Publicado no Recanto das Letras em 08/11/2007-Código do texto: T729372 -Poema inpirado no convite de Vitor Jerônimo http://ecosdapoesia.net/letras/washington_maguetas.htm

vicamf@yahoo.com.br
foto poema in
http://vicamf.multiply.com/photos/album/25





































































Wednesday, October 24, 2007

FUGA -elogio -filme

bem lembradas as máimas dos Poetas pela amiga Michèle que inspirou-me neste post

a tempos queria elogiar este filme ...


Wednesday, October 17, 2007

fluir -jorrar

Fluir -jorrar

Em pro da POESIA e do bem viver magias,
aprendendo a aceitar o bem e o belo sem questionar,
simplesmente indo meio
q.sem lenço e sem doc.
feito "Andorinha", "além mar" e mais além amar...

às minhas queridas amigas do bem viver Li Andorinha e
Mi Poesia
de sempre grata
vi além mar

Monday, October 15, 2007

Nietzsche novamente







não poderia deixar de postar algo no diaem que celebro o nascimento de meu grande " amigo "
Nietzsche

Sunday, October 07, 2007

Saturday, September 29, 2007

BIRDS


domenico




"se as coisas fazem sentido, precisamos de pouquíssimas coisas. Mas são aquelas que nos dão tanta alegria. As coisas que nos dão mais alegria são as que menos custam. Por exemplo, a amizade, o amor, o convívio, a brincadeira, a diversão, a ironia, a introspecção, estar um pouco com si só, o ato de contemplar as coisas, as árvores, as nuvens, os pássaros, o mar. Tudo isso é de graça. Nós perdemos esse sentido porque estamos sempre com pressa, acumulamos, acumulamos, mas se desacelerarmos, conseguimos dar ritmo à nossa vida, a vida fica riquíssima e parece muito longa, tão longa que passamos a não ter medo da morte." (Sociologo Domenico di Masi ) adoro este itliano!





Monday, September 17, 2007

- olhares...

Poema Inspirado no Filme Out of Africa (br: Entre dois amores
baseado na obra autobiográfica de Isak Dinesen (o pseudônimo de KAREN BLIXEN


Trilha Sonora “Concerto for clarinet e orchestra in A (K.622)” Escrita por Wolfgang Amadeus Mozart Interpretada por Jack Brymer, Clarinet, The Academy of St. Martin-in-the-Fields Directed by Neville Marriner“Sonata in A major (K.331) 'Rondo alla turca'” Escrita por Wolfgang Amadeus Mozart Interpretada por András Schiff“Sinfonia concertante in E flat major for violin & viola (K.364)” Escrita por Wolfgang Amadeus Mozart Interpretada por The Academy of St. Martin-in-the-Fields, Alan Loveday, violin e Stephen Shingles, viola Directed by Neville Marriner“Three divertimenti (K.136,137,138)” Escrita por Wolfgang Amadeus Mozart Performed The Academy of St. Martin-in-the-Fields Directed by Neville Marriner“Auld Lang Syne”“God Save the King”




Karen Blixen)
Oscar 1986 (EUA)
Vencedor nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora Original, Melhor Direção de Arte e Melhor Som.
Indicado nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Klaus Maria Brandauer), Melhor Atriz (Meryl Streep), Melhor Figurino, Melhor Edição.
Globo de Ouro 1986 (EUA)
Venceu nas categorias de Melhor Filme - Drama, Melhor Trilha Sonora Original - Cinema e Melhor Ator Coadjuvante - Cinema (Klaus Maria Brandauer).
Indicado nas categorias de Melhor Diretor - Cinema, Melhor Atriz de Cinema - Drama (Meryl Streep) e Melhor Roteiro - Cinema.
BAFTA 1987 (Reino Unido)
Vencedor nas categorias de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Som.
Indicado nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Klaus Maria Brandauer), Melhor Atriz (Meryl Streep), Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora.
Prêmio César 1987 (França)
Indicado na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.
Prêmio Eddie 1986 (American Cinema Editors, EUA)
Indicado na categoria de Melhor Edição de Cinema.
Academia Japonesa de Cinema 1987 (Japão)
Indicado como Melhor Filme Estrangeiro.
Prêmio David di Donatello 1986 (Itália)
Venceu nas categorias de Melhor Atriz Estrangeira (Meryl Streep) e Melhor Filme Estrangeiro.

Oscar 1986 (EUA)
Vencedor nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora Original, Melhor Direção de Arte e Melhor Som.
Indicado nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Klaus Maria Brandauer), Melhor Atriz (Meryl Streep), Melhor Figurino, Melhor Edição.
Globo de Ouro 1986 (EUA)
Venceu nas categorias de Melhor Filme - Drama, Melhor Trilha Sonora Original - Cinema e Melhor Ator Coadjuvante - Cinema (Klaus Maria Brandauer).
Indicado nas categorias de Melhor Diretor - Cinema, Melhor Atriz de Cinema - Drama (Meryl Streep) e Melhor Roteiro - Cinema.
BAFTA 1987 (Reino Unido)
Vencedor nas categorias de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Som.
Indicado nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Klaus Maria Brandauer), Melhor Atriz (Meryl Streep), Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora.
Prêmio César 1987 (França)
Indicado na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.
Prêmio Eddie 1986 (American Cinema Editors, EUA)
Indicado na categoria de Melhor Edição de Cinema.
Academia Japonesa de Cinema 1987 (Japão)
Indicado como Melhor Filme Estrangeiro.
Prêmio David di Donatello 1986 (Itália)
Venceu nas categorias de Melhor Atriz Estrangeira (Meryl Streep) e Melhor Filme Estrangeiro.


Thursday, September 13, 2007

PLANTAR CRAVOS, AMORES-PERFEITOS ...na borda do vazio existencial.





<...Ser falante pode ser praga, mas ser escrevente é bênção.
É um dos possíveis destinos da pulsão.
De vida? De morte? O poeta não vive tais dicotomios...>
Uma que leve embora essa angústia, o solúço engasgado. Uma que traga de volta o sonho. Poesia é tentativa de realização de desejos. Difusos, confusos mesmo, os sentimentos só serão entendidos pelo autor depois. Depois de dar à luz sua poesia. ...(PSI-Gloria Leal Gloria Leal in Poesia: O Real e o Simbólico )

Escrever poesia é lidar com o mistério sem o compromisso, alías impossível, de explicá-lo.
Escrever como quem inspira (um verso) e expira (outro verso).

Exercício respiratório, associação livre de idéias, catarse, espasmo, orgasmo, seja o que for, faz bem.
Apesar do sofrimento de não conseguir dizer o que se deseja.
Como sempre. Apesar de o desejo não se inscrever, realiza-se, por alguns instantes,
o desejo de fazer uma poesia.

Plantar amores-perfeitos, narcisos e bromélias na borda do vazio existencial.
Lacan diz que em toda forma de sublimação o vazio será determinante e que toda arte
se caracteriza por um certo modo de organização em torno desse vazio.
Sublinha a importância da linguagem por lidar com o significante que
é "aquilo que, na ordem das artes, confere sua primazia à poesia."

Bachelard afirma que compete ao poeta “o dever de ensinar-nos a



incorporar as impressões de leveza em nossa vida,


a dar corpo a impressões quase sempre desprezadas” (BACHELARD, 2001: 199)



Os poetas trazem para o espaço do papel a
cosmicidade das imagens que evocam recordações
e devaneios, canalizando memória e imaginação na
essência das imagens poéticas. Assim, a poesia
passa a ser
“uma força de síntese para a existência
humana”
(BACHELARD, 2001: 119)



O Poeta une a imaginação e a memória, revelando
estados da alma e, ao mesmo tempo, sendo convite
ao devaneio poético:
“o poeta dá à imagem
um destino de grandeza”
(2001: 168 )
“a faculdade de formar imagens da realidade; é a faculdade de
formar imagens que ultrapassam a realidade, que cantam a realidade” (2002: 18).
A poesia constitui a matéria-prima para uma
fenomenologia da alma, pois suscita imagens A imaginação faz
a correspondência entre as imagens e as palavras
e, nesta associação, o poema é uma fonte de evocação da memória e da recordação.

Estudar as imagens da infância pela obra literária e pela palavra poética é uma

forma de adentrar neste universo misterioso da imaginação simbólica, pois a arte

é portadora de vozes que repercutem ecos ontológicos, voz que ecoa os tons da natureza

e do homem: espelho da humanidade.

A poesia é uma força de síntese para a existência
humana”
(BACHELARD, já que a poesia possibilita analisar a infância de forma tão mágica, que traz para o espaço do poema o mesmo maravilhamento da infância vivida..
BACHELARD,Gaston. A água e os Sonhos: Ensaio sobre a imaginação da matéria.São Paulo: Martins Fontes, 2002. 2001: 119)

Terceira Natureza ? Amizade à VIDA ...






Louvo e glorifico momentos de encontros legitimamente alegres, enquanto poéticos, repletos de encantamentos, onde as mais densas emoções encontram-se sublimadas e

o ser respira, COMUNGA livremente com a dança do UniVERSO ... Louvo para que no Cosmo expandam-se também os contentamentos humana -mentes possíveis ... *virgínia além mar * set-2007
pois que < temos a ARTE para q. a verdade n. nos destrua... Nietzsche

'Se, com Spinoza, entendemos por Ética a determinação de estratégias
de ação, nossa época de hipertecnificação defronta-se com dilemas éticos
ingentes. Selecionar valores que favoreçam a vida, redefinir o sentido do
que é ser humano - eis o desafio que nos cabe enfrentar. '
[Luiz Alberto
Oliveira físico, doutor em Cosmologia, Prof. De Filosofia da Ciência RJ]


imagem 1- internet /imagem 2- foto virgínia-NH-RS Brasil