Wednesday, April 02, 2008

Errância


Errância

Desejo um sonho
um que caiba na minha mão esquerda
pois a direita está ocupada demais consertando...

Um que dispa as desventuras
os empecilhos
os mandos, as possibilidades gastas

Um que inclua um amor do tamanho de si
descabido inimaginável
que desvencilhe os desgastes dos ossos

Um inconcebido
de beijar o chão e as nuvens
de saltar de uma a outra margem

Sim de um sonho marginal
que liberte do conhecido
que inaugure a vida

Que recrie asas
que invente possibilidades
que rasgue definitivamente os véus

Nele a inocência se desdobre
num imenso so-riso
indiferente aos ladrilhos que se quebram...

virgínia além mar -

1 comment:

Guhn said...

See Please Here