Thursday, December 04, 2008

transmutações carne-espírito Artur & Isabel -recortes

queimando em Mar de Fogo me Registro
lá no fundo do teu íntimo bem no branco do meu nervo
brota uma onda de sal e líquido
procurando a porta do teu cais
teu nome já estaca cravado nos meus dentes
desde quando Sísifo olhava no espelho primeiro como Mar de Fogo
registro vivo das primeiras Eras

segundo como Flor de Lotus
cravado na pele da flor primavera
logo depois gravidez e parto
permitindo o Logus quando o amor quisera- Artur Gomes
&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

"....O Amor permanece,
No seu devido lugar,
Mesmo que incerto.
A Felicidade regressa,
as almas,
Outrora despedaçadas.
Cantamos
dores e sofrimento torna-se leves...".Isabel Rosete

1 comment:

Maria Isabel Rosete said...

Adorei mais este seu espaço inovador, querida Virgínia.
Muitíssimo obrigada por me ter incluido nele.
Parabéns para si e para o Artur. Gostei imenso do poema dele.