Monday, August 08, 2011

Pai - virgínia f. além mar

                                                                      Publicada na AVSPE evento Dia dos Pais 2010

Na solidão
No escuro da noite
Ante os desafios
Onde o medo infantil é cruel
Tua presença introjectada
Teu carinho encorajador
Estiveram presentes

Pai também depositaste confiança
E semeaste valores que protegem
Amigo soubeste ser

Ensinaste a rir de si mesmo
A jogar,brincar com adversidades
E a levar a sério o respeito
A consideração para com todos

Pai muito de ti em mim vive
E desta parcela do aprendido
Retiro forças para perseverar na singularidade


Com admiração
Com amor eterno e gratidão
Sei que na imensidão consegues distinguir
Meu olhar a ti dirigido ...
                               virgínia fulber -Novo Hamburgo RS agosto 2010


"A vida só pode ser entendida olhando-se para trás. Mas só pode ser vivida olhando-se para frente. " - S. Kierkegaard filósofo e teólogo dinamarques -

3 comments:

Eliana f.v. - Li Andorinha - said...

Virgínia minha Amada Poetinha além mais Amiga Irmã que o cosmo me deu!
Essa tua poesia me faz sentir envolvida pela mais pura Emoção...Ternura...e Alegria!
Já disse uma vez...Que Lindo papai! Que Linda Filha! Tens os sorriso do teu pai querido e também esse olhar
contemplativo e tão cheio de significados!
Com certeza suas energias se encontram nessa imensidão onde estão fortemente ligados pela
convivência divinamente carinhosa que tiveram!
Fico feliz quando leio-ouço-sinto esse afeto em poesia oferecida ao seu pai!
Grata por esse momento ímpar Vi! Amei cada imagem...cada versos, cada sensação que me deixou!
Grata Eternamente poetinha
jardineira que Adoro!

beijinhos em gorjeios de andorinha feliz...com muito carinho da Li

Rosangela Jacinto said...

Belo poema, Virgínia!
De uma gratidão incrível para com o pai!
Parabéns pela sensibilidade!
Beijo no coração

manuela barroso said...

Virgínia, antes de mais, uma poesia que dispensa mais palavras.
Basta o tema. Bastam as recordacões!
Colaborei com uma sobre o mesmo tema.
Estava fora. Não pude acompanhar embora me mandassem notícias. Ainda quis aceder.Não consegui por não saber movimentar-me no vosso. espaço...
Por isso me perdi de si.
Mas volto sim.Poesia da maior!
Abraço afetuoso