Thursday, September 24, 2009

Cativa-me ...

Se você vier às quatro da tarde,desde as três eu começarei a me sentir feliz... A.S. Exupèry



A existência precede a essência....JP. Sartre


Você existe e alguns sabem disso...Viver é visibilidade , a pior dor é a de ser invisível, ou seja a indiferença...

As saudações recebidas nas últimas vinte e quatro horas,levaram-me a refletir e compartilhar ... Como disse Clarice, a Poetisa; ...você. que me lê ( vê) me ajuda a nascer...
Quanta sabedoria em uma só obra, refiro-me ao Pequeno Príncipe de S. Exupéry...Se me cativares, passarás a existir para mim !

A cada ano que passa comemorar datas perde mais sentido , assim penso e repenso e, a cada surpresa reafirmo que os maiores e melhores presentes que tenho recebido são as manifestações espontâneas de amizade, indatadas ...Teria uma infinidade de datas, instantes a celebrar . Momentos mágicos, intensos vividos com verdadeiros amigos, amigos do cotidiano, parceiros de vida que compreendem que para haver relação a reciprocidade e a constância são fundamentais.

Construímos pontes, tecemos versos, alinhavamos o bordado, cozemos o sabor da vida a cada respiração compartilhada. Transpiramos os verbos amar, apaziguar, acalentar, cuidar, lutar, ousar coletivamente e constantemente.

No botão, na raiz, na pétala caída, das nuvens aos subterrâneos rios e aos voadores, na asas e no ovo, do ventre ao epitáfio o processo é o que festejo . è preciso ousadia de cativar e deixar-se cativar para comungar e conjugar o mel da existência !

Portanto , a cada ano que passa, mais desligada da data de meu nascimento, aniversário vou ficando, pois acredito que nasço e renasço a cada decisão, a cada respiração, mas se falarmos em datas especiais, marcantes do ponto de vista físico, objetivo e não subjetivo precisaria comemorar o mês abril de 95 quando renasci , e mais alguns quando entre a morte e a vida estava e principalmente mencionar uma pessoa corajosa com uma força extraordinária chamada Lizete H, esta mulher, amiga, chamou-me, literalmente, ao retorno do convívio terreno. Ouvi-a e, como não faze-lo, estava num mundo sem dor, indo para onde todos iremos e com a força de seus pulmões gritou -Virgínia, Virgínia, Virgínia ! Foi por seu chamado que decidi retornar. Havíamos criado laços, havia-a cativado!

Quem me bem quer e acha que algum valor agrego a sua existência desejo que saibam que Lizete existe e conquistou sua essência ; é essencial !

Como no portal entre a existência e não existência estive , talvez, uma maior consciência de que celebramos renascimentos e, que para que eles existam precisamos que existamos para alguém e que este semelhante nos ame, profunda e corajosamente para exigir nossa presença a ponto de conquistamos nossa própria essência humana, ainda que demasiada, esta que no meu entendimento, até aqui, ainda continua de mãos dadas oa existencialismo Sartreano apesar de possuir uma espiritualidade independente de religiões, sendo que afeiçoei-me ao pensamento oriental e à filosofia de B. Espinosa ( Spinoza) desde muito jovem por suas diferenças, referem-se a um deus imanente.

Um a parte; lemos em Sarte que se verdadeiramente a existência precede a essência, o homem é responsável por aquilo que é. Assim, o primeiro esforço do existencialismo é colocar o homem no domínio do que ele é e, de lhe atribuir a total responsabilidade da sua existência, ou seja ; o homem é responsável por si próprio e, não somente, é responsável por si e por todos os homens.
Em 24 de setembro a mais de meio século ao convívio teria sido convocada a existir? Resistimos fizemos a opção de seguir em frente , então avante !

Outra pessoa me foi crucial, a Escritora, Poeta, pessoa Vânia Moreira Diniz* por cuidado e aprendizado nesta que mais que tudo é minha nova existência onde a essência multiplicou-se .Esta nova vida em que transcendo gênero e os papeis anteriores ;profissional, e posição no seio familiar indo mais além e, deixando meus pedacinhos de pão como na fábula de João e Maria.

Creio é preciso para uma realização mais plena , tornar-se o que se é e, no meu caso dar vazão ao sonho de pela Poesia é possível plantar sementes de perene comunhão, afinal sou Libriana e, minha ânsia maior é por Harmonia , este conceito abrangente sinônimo de Beleza, Paz e porque não Poesia ! Existir portando-a, para mim é exercer poção de liberdade que implica em responsabilidade, sem dúvida.

Você existe e alguns sabem disso, e o sabem através do visível, no meu entendimento. Nós humanos adoecemos, enlouquecemos, brigamos , amamos, melhoramos, pioramos , ou seja, usamos de toda vitalidade para gritar, cada um a seu modo, eu existo, insisto ! Veja-me, sinta-me, toque-me pois a pior dor é a invisibilidade ; perversa, muda, cega e surda indiferença !


Desejo, com estas palavras de foro íntimo, abraçar cada um de vocês que integram minhas fibras, portanto existem para e em mim e, que através da compreensão da necessidade de alteralidade, nutrem a decisão de permanecer visível, vocês me cativaram !

Então felizes primaveras queridos amigos, que as flores mantenham-nos atentos a sua mensagem; intrínseco à beleza está o acolhimento, que nada tem de virtude ou desprendimento, mas porque assim o é desde o princípio, reciprocidade é a lei dinâmica da vida. O desrespeito a esta lei tão simples, apenas denota que a pessoa está indecisa ante a opção de pertenciência, é um direito que lhe cabe, respeito às diferentes interpretações é fundamental, bem como mudar e aprender deixar-se cativar e ainda aceitar a dor das despedias...

Do essencial, ainda, invisível provém a visibilidade e a contém ...

*virgínia além mar

nota- Foi a Escritora- Poeta Vânia M.Diniz que rebatizou-me -além mar , nome que aceito e adoto a quase uma década com alegria.

2 comments:

Cristina Arraes Moreira said...

Virginia. Que belo, emocionante e tocante texto. Fez-me chorar em vários momentos. Fez-me recordar alguns momentos, um deles na tentativa da chamada de volta de pessoa querida, amada. Neste domingo de sol, em plena primavera, fez-me renascer no coração sentimentos adormecidos. Fez-me lembra que a vida é importante também por estes encontros. Que bom que te conheci! Sou fã também do "Pequeno Príncipe", acho que nos traz ensinamentos com a simplicidade da infância. Beijo grande, com minha sempre admiração.
Cristina Arraes Moreira.

virgínia vicamf além mar said...

querida Cristina arrepiada com tuas palavras, sei bem do que estás falando, vcs. sofreram perdas de entes muito amados, a hora era aquela, com despreendimento, coragem deixaram-nos partir,
foi numa época de grande sofrimento e perdas q. conheci Vâninha e ela trouxe-me mais este presente- tua amizade, abraços de muito crinho e admiração, e agradecimentos,
tua virgínia