Sunday, June 28, 2009

Das Naves ao Piar das Cotovias & além


*virgínia além mar

Pinceladas, matizes, argamassa do viver ; barro gesso papel marche...Esculpida em mármore uma alma de aço? Um terço dos véus, eu te conheço? Tu me esqueces? Já não sou quem era. Enganei-te ? Enganei-me? Inventei um personagem ? Sou artista meu amigo, ora alegre, ora triste, transvaloro-me, reinvento, ultra-passo fendas, muros, aço e braço. Ora eu, ora tu, ora nós, ora entre representações. Vejo como quero, tu me amas como podes. Virando do avesso, das matrizes resta, surfando entre as vagas os devaneios além mar ...E, lá nave vá entre as vãs filosofias e arroubos de verdades há margens e miragens.
No branco das nuvens esculpimos sonhos, na areia fina castelos de amores infinitos tragados pelo hálito do vento norte. Versos e uma prosa decolam feito alecrim entre foliões dispersos. Leste minhas cartas no começo das estações? Foram folhas de outono, orquídeas de primavera, lágrimas de inverno gélidas descongeladas ao verão intruso que, reviveu-nos em cada uma. De sorte que seguimos resguardados de parcela elementar. Em cada um, tantos rostos se impuseram, olhares não satisfizeram a lacuna que a lua deixou entre as frases. Do silêncio morno e inquieto ressurge um bilhete de passagem. Ao porto ou à tribo retornamos, buscando na história algo que alinhave estrofes e alinhe velas , uma força, fermento do seguir adiante ... Passando por Dali , Fellini os cristais em minhas veias cingem silencio e verbo. Entornado sacramento, entoam sereias odes aos mancebos . Ensurdecemos um pouco demais, ante aos gritos histéricos criamos aspas, como escamas antigas, a proteger –nos dos segredos que tanto queríamos preservar . Com a pele mais fina perdemos o tato e um sol já não nos basta queremos outros, todos astros a nos proteger. Com nosso alumínio e ferro forramos a atmosfera e blindamos a fera e também o pouco de sinceridade que no ar havia ... Se, estamos perdidos ninguém sabe, pois se acharmos a velha alegria de quando não sabíamos, talvez encontremos uma lágrima verdadeira e só ela o é ante ao belo, ao inocente e ao piar das cotovias ...
&&&&&&&&&&&&&&&&
Sons da floresta revelam que biodiversidade da Amazônia é muito maior do que se imaginava ...Através dos ouvidos, pesquisadores na Amazônia estão fazendo descobertas sobre a real biodiversidade da floresta amazônica que passaram despercebidas aos olhos de outros cientistas que se dedicaram a estudá-la.......Estamos descobrindo que, quando há uma diferença de som de um local para outro de uma população da mesma espécie, também há uma diferença genética. O animal é outro- revela Cohn-Haft.-ornitólogo e curador da coleção de aves do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa)
Os muitos cantos da Amazônia -Pesquisadores lançam coleção de CDs com o som de aves do maior bioma brasileiro; ouça amostras Ouça amostras de cantos de aves da coleção Vozes da Amazônia (arquivos em formato MP3) Inhambu-de-cabeça-vermelha (Tinamus major) (504 KB) Garrinchão-coraia (Thryothorus coraya) (2,0 MB) Araçari-negro (Selenidera culik) (800 KB) Anacã (Deroptyus acciptrinus) (929 KB) Formigueiro-ferrugem (Myrmeciza ferruginea) (900 KB) Maú ou pássaro-boi (Perissocephalus tricolor) (1,3 MB)

3 comments:

Efigênia Coutinho said...

Pinceladas, matizes, argamassa do viver ; barro gesso papel marche...Esculpida em mármore uma alma de aço? Um terço dos véus, eu te conheço? Tu me esqueces? Já não sou quem era. Enganei-te ? Enganei-me? Inventei um personagem ?

Coisa mais linda de ler você, onde consegues reinventa a própria vida vivida...Tua harmonia com a mãe natureza, é aconchegante dentro da gente....

Venha conhecer:

O MELHOR BOLO DE CHOCOLATE DO MUNDO...
Beijos saudosa,
Efigênia Coutinho

Eliana f.v. - Li Andorinha - said...

Querida Poeta-Amiga Virgínia além mar
PARABÉNS! PARABÉNS! PARABÉNS!
Completamente perdida mas feliz nas sensações provocada por tão instigante inspiração não encontro
as palavras certas para te dizer
Assim com meu silêncio extasiado te ofereço uma chuva de estrelinhas...
Um dos...senão o melhor e mais belo texto que já li!
Que bem faz para minha alma te ler!
Agora sei...Tens o encanto da cotovia!
Hoje olho para a lua (que está linda) e te agradeço eternamente minha querida poeta!
beijinhos com enorme carinho da Li

virgínia além mar- peixe voador said...

queridas amigas Efigenia e Eliana
vcs. são sopros de brisa suáves sobre minha palavrinhas, abraços de sempre gratos
a vcs. Poetas meu também abraço de admiração crescente!